iinspiradas

terça-feira, 16 de maio de 2017

Cruzeiro com a MSC: a Comida!

às
Olá inspiretes, sentiram minha falta? 

As coisas ficam complicadas as vezes, e fazer coisas pela metade me aborrece mais do que não fazê-las. Então fiz uma pausa para organizar a vida e estar de volta com um post completo e bonito como vocês merecem!




Hoje é dia de falar sobre o navio em si! Sim, tivemos um dia inteiro de navegação e a ideia é mostrar um pouco mais desse hotel flutuante que virou nossa casa por 7 dias lá nos Emirados Árabes.

Para quem está chegando agora, esse post faz parte de uma série onde eu contei um pouco (mesmo falando muito) de como foi o Cruzeiro que fizemos com a MSC.

Terminamos o último post em Abu Dhabi, esse lugar que eu quero muito voltar em breve. Mais uma vez chegamos ao porto depois de um dia inteiro de andanças e aproveitamos para utilizar a internet, mandar notícias para casa e avisar que não faríamos contato no dia seguinte, já que estaríamos navegando. Só quando encontrássemos o próximo wifi free, talvez em Mascate, nosso próximo destino. 

Ao chegar na nossa cabine, novamente tínhamos o cronograma do dia seguinte:

Ali dizia que chegaríamos no próximo destino só "depois de amanhã". De novo eu fiquei meio assustada quando tomei consciência de que passaríamos mais de 24h no mar, atravessando até o pais vizinho. Logo lembrei, será que teríamos mais um carimbo no passaporte? Nem estávamos com nossos passaportes.... Enquanto relaxávamos entre o banho e o horário de jantar, extrai mais algumas informações importantes dali:

- Navegaríamos pelo Golfo Pérsico (Mar Árabe) até passar pelo Estreito de Hormuz, chegando ao Golfo de Omã.



-As atividades de recreação disponíveis, obviamente me empolguei quando li sobre Bingo! Adoro um bingo... hahahahaha perdi uns minutos pensando como seria um bingo no navio, se cantariam os números em todas as línguas... =D



- Os horários dos restaurantes;

- A festa do dia seguinte: Seria a noite de gala... =D

Como esse é um dos posts para falar mais sobre o cruzeiro com a MSC, fiz uma divisão mais por temas do que cronológica. 

Vamos começar pela comida? VAMOS!!! Uma pena que eu comi muito mais do que tirei foto, coisas de uma pessoa esfomeada...

Café da manhã:

Neste dia de navegação especificamente não tomamos café da manhã porque perdemos a hora de uma maneira fantástica. Estávamos muito cansados do dia em Abu Dhabi, a janta foi maravilhosa e foi até tarde, e no resumo a cama nos abraçou até o meio dia. Acordamos meio no susto e acabamos pulando uma refeição.

O café da manhã pode ser tomado de 3 formas:

- Na cabine: de acordo com o que você pagou pelo cruzeiro esse serviço pode estar incluso ou ser pago a parte. Tem um formulário na mesa de cabeceira que você pode marcar o que deseja entre as diversas opções disponíveis, um cardápio muito semelhante ao do restaurante a la carte. E também escolher o horário do café. Nós não utilizamos este serviço.

- No restaurante a la carte: No nosso navio o restaurante se chamava Red Velvet. A nossa mesa de jantar também ficava neste restaurante. No café da manhã havia um buffet com uma seleção de coisas similar ao que havia no restaurante buffet, além de um menu com delicias preparadas sob demanda. Todos os dias que tomamos café foi aqui. Destaque para os ovos Benedict e para o carpaccio de salmão defumado. Me senti a ryca comendo essas coisas como se não houvesse amanhã! Ryca, esfomeada e com pouca classe... hahahahahaha
Comeria isso todos os dias <3

Eggs Benedict, croissant e outras delícias!

Waffles de frutas vermelhas, poderia me acostumar com essa vida... =D

- No restaurante buffet: Esse restaurante ficava no mesmo andar das piscinas, e funcionava 20h por dia. É também onde café, chá, gelo e água estão disponíveis 24h por dia. O café mais completo ficava disponível das 06:30 as 10:30. O lugar é imenso, mas diversas partes do buffet se repetem. A quantidade de pães disponíveis fazia jus à origem da MSC, como boa italiana que é.


Entrada do restaurante Buffet.

Diversas mesas baixas e altas para acomodar tanta gente!

Estação de bebidas, disponível 24h por dia.

Vários tipos de chás, aquele leite de capsula e rodelas de limão siciliano.

Maquinas de café, aquele fraco encontrado em todos os lugares fora do Brasil. Leite gelado e quente também disponível.

Máquina de suco, esta ficava ligada apenas no café da manhã.

Máquina de gelo e água. Não vimos muita gente fazendo, 
mas nos disseram que podíamos pegar canecas e copos 
e sair com as bebidas do restaurante sem problemas. 
Ambos eram "não quebráveis".

Como eu e marido sempre demoramos a acordar de verdade, enfrentar um buffet com muita gente por metro quadrado logo nas primeiras horas da manhã não nos parecia boa ideia.


Algumas frutas já ficavam cortadinhas.

Outras inteiras e higienizadas.


Várias geléias, mel, manteiga e margarina.

Compotas e iogurtes.

Bolos, tortas e pães.

Era só uma nega maluca, mas olha essa apresentação!

Para todos os gostos...

Não comi nem metade das coisas disponíveis.

Tinha um nome besta em Italiano, mas era apenas um donut!

Chantilly, no modo "coma até passar mal"...

Linguiça e bacon...

Muffins, parecem comuns demais perto do restante!


Almoço:

- Red Velvet (a la carte + mini buffet): todo dia um menu diferente, escolhíamos as entradas, sopas, pratos principais e sobremesas e o garçom trazia conforme acabávamos o prato anterior. Era bom por duas coisas: a primeira pelo fato de todo dia ter pratos diferente, mesmo que algumas vezes parecido com o do jantar da noite anterior. A segunda era ter a oportunidade de dividir a mesa com desconhecidos. Almoçamos poucas vezes no navio devido aos passeios, mas tivemos a oportunidade de conversar com um casal de franceses 70+ muito educados e também um alemão com um casal de filhos adolescentes. Foi interessante quando o pai começou a traduzir para os filhos os que conversávamos em inglês. Eu jurava que inglês era segunda língua praticada por todos na Alemanha. E pensando bem eu não sei porque eu pensava isso. 

Como era o garçom que organizava para sentar na mesma mesa as pessoas que chegaram mais ou menos ao mesmo tempo (para todos comerem juntos), era divertida a apreensão até saber quem seriam nossos companheiros de mesa. No café da manhã isso também poderia acontecer, mas geralmente nos sentavam em mesas para 2.




Cada dupla de garçons servia um determinado número 
mesas de acordo com a "posição geográfica" dentro do restaurante. 


Detalhe para as janelinhas clássicas!

Essa era uma "entradinha"...

Eu não sou fã de doce, normalmente achava eles mais bonitos que gostosos. 
Mas esse era tipo um tempurá de sorvete, pedi inclusive para repetir... De-lí-cia!

Havia também um mini buffet (mini comparado com o do restaurante buffet), contendo algumas das opções servidas no buffet principal.

- Buffet principal: como bons gordinhos que somos, a gente terminava de almoçar no Red Velvet e ia dar uma volta no Buffet Principal. Ali o almoço era servido até as 16:00, 2 horas a mais que no outro restaurante. Achei interessante que tinha uma parte do buffet com menu kids, onde serviam batatinhas smile e macarrão básico sem molhos muito elaborados. Tinha também uma parte dedicada à comidas étnicas, ali era sempre parada certa para experimentar coisas diferentes. Me estrepei alguma vezes, devido a coisas apimentadas. Pessoal lá gosta de um curry e de uma pimenta (as vezes os dois juntos) como nunca vi.

Janta:
Mesmo a janta sendo servida também no buffet, a maioria das pessoas faz esta refeição na sua mesa e turno marcados no seu cartão do quarto. Todos os hospedes são designados a um dos dois restaurantes para essa ocasião: Red Velvet ou Il Cerchio D’oro.


Essa é a única foto de janta que eu tenho. Não sei o que houve! =(

Todos os dias haviam pratos que agradavam e outros nem tanto. Isso é muito pessoal, afinal de contas. Todo dia havia um tema diferente, e o menu acompanhava esse tema. No dia do jantar étnico, as comidas eram de influencia árabe. E de novo ou tinha curry em quantidades absurdas, ou tinha pimenta, ou tinha os dois juntos. Nesse dia eu comi uma salada e duas sobremesas. Até a sopa que o garçom jurou pra mim que era "no spicy" eu não consegui comer. Devia ter desconfiado que o paladar de um filipino para pimenta seria BEM diferente do meu.

Os cardápios de comida estão sempre disponíveis em umas 7 línguas, inclusive em português. Às vezes, como no café da manhã, o cardápio em português fica separado dos demais (acho que foi feito depois) mas é só pedir para o garçom.

No mais, a qualquer hora do dia era possível ir ao restaurante buffet. Com fome não tinha como ficar! De acordo com o horário, algumas partes do buffet poderiam estar fechadas, ou com menus específicos daquele horário.




Há ainda diversos (muitos mesmo) bares espalhados pelo navio, e não fomos a nenhum deles. =D Há também restaurantes temáticos pagos a parte, um italiano e um mexicano. E eu vi uma sorveteria! Precisaríamos de mais alguns dias ali para ver tudo que tinha para ser visto dentro do navio...

Bebidas:

Nosso pacote não incluíam bebidas, exceto aquelas disponíveis no buffet principal. Eu tirei foto dos pacotes que eles oferecem para compra já lá no navio. Dizem que comprando antecipado antes do embarque custa menos, e ainda pode ser parcelado.



Lembrando que esses valores estão em Euros, e sobre 
ele é necessário aplicar a cobrança de 15% de taxa.

Em qualquer um dos restaurantes você pode solicitar a carta de vinhos, começando em 19 euros (mais 15% de taxa, não esqueça das taxas). Eu aproveitei que não estava dirigindo e pedi dois rosés durante a nossa estadia. A garrafa era guardada e o garçom me trazia ela no dia seguinte. Eu poderia levar para o quarto também, se assim desejasse. Mesmo escolhendo os mais baratinhos, os dois vinhos eram ótimos, eu tinha era que cuidar para não tomar a garrafa toda numa refeição.

Esse era uma delicia!

Acabei tirando foto também do cardápio de bebidas do bar da piscina. Ficamos pensando que se recebêssemos em Euro ou Dólar os preço não eram nada absurdos. Já vimos coisas muito mais caras em aeroportos nacionais.






O nosso navio tem capacidade para mais de 3 mil hóspedes, fora tripulação. Já imaginou o tamanho da estrutura para preparar a comida para esse batalhão todo de gente, insumos carregados a cada porto e tudo mais? Em alguns navios é possível agendar com antecedência uma visita às instalações de uma das cozinhas e na casa de máquinas. Descobrimos isso no penúltimo dia, e já não havia tempo hábil para tal. Mas ficou a curiosidade para a próxima oportunidade.

Lembrando que este relato se refere a nossa experiência no Cruzeiro pelo Emirados Árabes com o navio Fantasia da MSC. Já vi outros relatos, bons e maus, sobre a comida da MSC. Semana que vem, em complemento a este post vou contar mais sobre a estrutura do hotel navio. Incrível como estando dentro dele tem horas que a gente esquece que estamos sobre a água, longe da terra firme!

1 - Emirados Árabes: quanto custa?
2 - Cruzeiro nos Emirados: Upgrade de cabine e Visto
3 - Emirados Árabes: A mala mais errada da minha vida!
4 - Emirados Árabes: 14 horas de viagem
5 - Emirados Árabes: O Embarque do cruzeiro e as primeiras impressões sobre Dubai
6 - Emirados Árabes: A simulação de emergência e Abu Dhabi
7 - Cruzeiro com a MSC: a Comida!
8 - Cruzeiro com a MSC: a Estrutura do Navio!
9 - Omã, o vizinho dos Emirados Árabes
10 - Emirados Árabes: praia e compras em Khor Fakkan
11 - Emirados Árabes: a Ilha de Syr Ban Yas
12 - Emirados Árabes: os Encantos de Dubai e o Desembarque do Cruzeiro

Beijos, até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário