iinspiradas

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Os benefícios de ter um bichinho de estimação

às
Quem aí gosta de um animalzinho de estimação? Eu sou apaixonada e desde que eu me lembro tenho um animal de estimação. Quando sai da casa dos meus pais para morar sozinha eu não tive um animal de estimação, e senti muita falta... Então não foi novidade nenhuma que logo após o casamento, morando no nosso próprio apartamento tivemos o nosso primeiro bichinho de estimação: a Isa – uma filhotinha de schnauzer prata, de personalidade forte e de um amor imensurável, ela viveu conosco por 14 anos (foi embora a bem pouco tempo).

A Isa era parte integrante da nossa família muito antes dos ninos chegarem, então para eles foi natural à convivência com um bichinho de estimação. Depois do nascimento dos ninos, adotamos também um filhotinho vira-lata que achamos na rua, o Bruno o batizou de Peter, e a alegria de ter um filhote em casa foi encantadora, mas tivemos que aprender com ele como nos despedir cedo demais (morreu envenenado), foi extremamente doloroso porém muito enriquecedor pelo lado educativo, pois foi a primeira dor da perda que os ninos tiveram.

Os animais são seres maravilhosos e merecem todo nosso amor e carinho, e tenho certeza absoluta que são ótimos para as crianças (e para nós adultos também). Alguns estudos apontam os benefícios que os animais de estimação proporcionam as crianças (e pode ser qualquer bichinho: cachorro, gato, peixe, hamster, papaguaio, etc); entre os principais benefícios se destacam:
·         Responsabilidade: os animais requerem vários cuidados diários, e se esses cuidados forem orientados por um adulto, estimulam a autonomia e responsabilidade. Alimentar, cuidar da limpeza do bichinho ou do ambiente onde ele fica, medicar quando necessário, forma um vínculo afetivo muito grande entre a criança e o animal fazendo com que aprendam a lidar com os mais diversos sentimentos, desde alegria até a dor da perda;
·         Relacionamento: através do convívio com os animais, as crianças também aprendem a se relacionar com outras pessoas, desenvolvendo sentimentos de solidariedade, respeito, zelo, compreensão e carinho;
·         Desenvolvimento físico: os animaizinhos podem ser um grande aliado no desenvolvimento físico das crianças, através de exercícios (uma caminhada com um cachorro no seu passeio diário, por exemplo) ou mesmo através de brincadeiras;
·         Saúde: Algumas pesquisas da  Universidade de Melbourne – Austrália  apontaram que as crianças que tiveram algum tipo de animal até a idade de cinco anos, posteriormente se tornaram mais resistentes a algumas doenças. Enquanto isso, aquelas que não tiveram a experiência de ter um animalzinho de estimação, estavam mais propensas a desenvolver alergia e infecções de ordem respiratória. Outro estudo comprova que problemas respiratórios começam a se desenvolver na adolescência. O fato de respirar o pó de casinhas de cachorros e até pelos de gatos, demonstraram que o organismo humano desencadeia uma proteção natural conta o vírus RSV, responsável por diversas infecções e problemas respiratórios. E além da saúde física, os animais ainda são capazes de promover melhoras sociais, emocionais e cognitivas (quando participam de terapias).

Mas antes de querer ter um animal de estimação (se você ainda não tem um), é preciso que saiba que eles vivem muito tempo, precisam de cuidados e custam um valor monetário mensal. É uma decisão muito séria e que deve ser tomada conscientemente por toda a família (nada de adotar ou comprar o filhotinho bonitinho que você viu no impulso hein, tem que ser muito bem pensado antes). Pois temos que ter a consciência que ele é um ser vivo, com sentimentos e não pode ser simplesmente “jogado fora”.

Mas se você analisou, conversou com a família e chegaram à conclusão que estão dispostos a ter mais um membro na família, vou te passar algumas dicas que acham que podem te ajudar:
·         Qual tipo de animal você gosta? Gosta de animais pequenos e fáceis de cuidar ou prefere um animal que não precisa de muitos cuidados? Ou você prefere um animal grande?
·         O custo do animal também pode ser um fator importante na decisão de qual animal escolher. Custos além da compra do animal (quando não adotado), os custos iniciais como caminhas, coleiras, pratos de alimentação, etc, além dos custos de manutenção mensal, cuidados veterinários e de alimentação devem ser levados em consideração;
·         Veja o que sua moradia permite. Se estiver alugando ou morando em um apartamento ou condomínio, seu prédio permite esse tipo de animal que você quer? As regras podem variar bastante. Muitos prédios permitem animais menores, mas não os grandes, alguns não permitem certos animais independente do tamanho, alguns permitem contanto que se faça um depósito de caução, etc. Verifique com o síndico sobre espécies diferentes, raças e tamanhos que você pretende ter. Consiga permissão por escrito, e faça uma atualização no seu contrato se achar que possa ter problemas;
·         Se estiver pensando em ter um animal exótico, veja antes as leis da cidade, do estado e do país sobre possuir ou importar o animal. Se estiver trazendo um animal de fora do país, veja com a empresa aérea e a alfândega sobre os documentos necessários e o procedimento de quarentena de animais vindos de determinado país. Estes podem variar de acordo com a fronteira e mudar sem aviso prévio dependendo das regulamentações de saúde.

Ter um animal de estimação exige comprometimento e muita dedicação, porém eu tenho certeza que vale muito a pena.  Hoje nosso bichinho de estimação é a Princesa, uma gata linda que adotamos quando ela tinha 2 anos, e já está 1 ano conosco. Como sempre tivemos cachorros está sendo delicioso descobrir como um gato age, sua personalidade e para os ninos é uma paixão sem fim. Além que as responsabilidades de escovar os pêlos dela, limpar a caixa de areia e a alimentação da noite são deles.

E você, tem um bichinho de estimação também? Conte pra nós...

Bjus e até semana que vem Inspiretes!

Nenhum comentário:

Postar um comentário