iinspiradas

sexta-feira, 30 de março de 2018

Pesadelos, como lidar?

às
Tem lugar mais aconchegante e seguro que a cama do pai e da mãe? Não né? E esse é um tema que normalmente divide opiniões, e eu vou usando o meu bom sendo e fazendo como acho que seja melhor para a nossa família.


Combinamos que uma vez na semana eu dormiria com os ninos na nossa cama enquanto o Papai dormiria em outro quarto. Esse contato com eles a noite, pegar no sono abraçadinhos e acordar de manhã juntinhos sempre foi algo que gostei muito – apesar de dormir mal a noite toda porque eles se mexem parecendo polvos gigantes... rsrsrs – e fizemos isso desde muito cedo, e eles também adoram.

Mas no dia a dia, os ninos dormem juntos no mesmo quarto com a luz apagada e porta fechada e para eles isso é natural. Eles não têm medo de ficar no escuro porque nunca fui a favor de assustar ou contar mentiras como meio de “educar”, sou sempre muito franca e honesta e explico tudo até onde eles têm maturidade para entender de forma clara e realista. Acho que isso ajuda eles a serem seguros.

Mas muitas vezes acontecem os tão terríveis pesadelos, e nessas horas como agir? Nas primeiras vezes que aconteceu eles choravam muito e nos chamavam para atendê-los na cama deles, e tanto eu como o meu marido sempre “socorremos” o mais rápido possível. Normalmente explicamos que não é nada mais que um sonho ruim e que nenhum mal vai acontecer, mas se para nós adultos as vezes os sonhos ou pesadelos parecem reais, imagina para uma criança que ainda tem tão vivo o mundo da imaginação? Então o que acabava acontecendo era que quem havia tido o pesadelo iria dormir na nossa cama, e assim conseguia ter uma boa noite de sono novamente e se sentir protegido de todo mal.



Depois eles cresceram um pouco e descobriram que não precisavam ficar desesperados, porque sempre estávamos lá para eles, então quando tinham algum pesadelo, eles automaticamente iam sozinhos para a nossa cama, e nunca negamos isso para nenhum dos dois. E quando acordavam pela manhã nos contavam qual foi o pesadelo que haviam tido e conversávamos sobre o assunto. Até que um dia eu ganhei de presente da minha amiga Carol um apanhador de sonhos e eu pendurei no teto do meu quarto, eu queria mais como decoração, mas para os ninos estava ali algo que poderia ajudar contra os pesadelos.

Então, quando tinham algum pesadelo que os acordava durante a noite, eles primeiro rezavam um “Santo Anjo” e pensavam no apanhador de sonhos      que estava no quarto dos pais, e isso ajudou inúmeras vezes, e as idas para a nossa cama começaram a diminuir cada vez mais. Hoje em dia ainda acontecem, mas nem me lembro quando foi a última vez que me procuraram por causa de um pesadelo, apesar de saber que eles ainda têm de vez em quando.



Nunca neguei carinho e proteção para eles, e eles estão crescendo seguros e confiantes de si mas também sabem que se precisarem sempre terão quem os apoie. Não vou dizer que é fácil e que não tive vontade de mandar voltar para a cama deles no meio da noite, mas pensando neles eu não poderia fazer isso. Hoje tenho dois filhos que estão aprendendo a enfrentar seus medos e superá-los e tenho certeza que saber lidar com os pesadelos foi um pequeno pedaço dessa conquista.


Não precisamos forçar uma situação, ou fazer pouco caso delas. Temos que ter paciência e persistência no que acreditamos ser o melhor para os nossos filhos e se manter firmes, pois quando vemos o quanto estão evoluindo e se desenvolvendo como pessoas é a maior recompensa que podemos ter como Pais.



Leo e Bruno

Nenhum comentário:

Postar um comentário