iinspiradas

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Água e sal e a sinusite tchau

às


No dia que comecei a planejar sobre o tema do post para o blog, a temperatura aqui em Porto Alegre/RS caiu 15º em menos de 24 horas. A primeira coisa que me ocorreu foi: pobre de quem tem sinusite. Mas então soou aquele alerta: espera, EU tenho sinusite. Dessa forma, comecei a pensar no que estava fazendo de diferente para que não tivesse crises de sinusite de forma tão regular como eu tinha antes, ao ponto de até me esquecer delas.
A resposta foi: higienização nasal. Como assim? Todo mundo limpa o nariz, não é? Bom, pelo menos é para limpar.


Desde que tenho recordação, tive crises fortes de rinite e sinusite. E quando digo forte, não estou exagerando. Em muitas vezes chegava a ter nevralgia dentária ao ponto de achar que meus dentes estavam soltos, além daquela pressão horrorosa atrás dos olhos e na testa. Uma dor absurda.
Pesquisando por uma solução natural (claro, não podia ser de outra forma), acabei topando com o higienizador nasal. Fiquei curiosa – bem curiosa – e comecei a ler tudo o que encontrei sobre o assunto na internet. Achei tão interessante que resolvi testar e comprei um, o qual tenho usado desde então.
Mas o que afinal é esse higienizador nasal?
Trata-se de um recipiente, que pode ser de louça ou de plástico (e que lembra muito um bule com bico), e é utilizado para lavar as narinas e aliviar/tratar os sintomas da sinusite, rinite, congestão nasal e coriza provenientes de resfriados, alergias respiratórias, além de tratar os efeitos da poluição e melhorar a respiração, sem o uso de medicamentos.
Para fazer essa higienização, necessário apenas o uso de água morna (de preferência filtrada) e sal (esse mesmo de cozinha). As quantidades de água e sal vão variar de acordo com o tamanho do higienizador usado, então seguir as orientações do fabricante é uma boa ideia, ok?
Depois que a água e o sal estiverem misturados dentro do higienizador, vá até a pia e, com a cabeça inclinada para frente, coloque o queixo no peito, vire a cabeça de lado e deixe a água entrar por uma narina e sair pela outra, enquanto respira pela boca. Use todo o conteúdo do recipiente em uma narina e assoe, depois repita o procedimento na outra narina e assoe.
Pronto, só isso.
Meu conselho: não tente se olhar no espelho nessa hora, porque você vai estar em uma pose das mais esquisitas e vai rir e vai acabar engolindo essa água. Pelo menos, foi o que aconteceu comigo.
A quantidade de vezes que vai fazer essa higienização depende de você mesmo. Não faço todos os dias. Faço quando acordo e sinto que não estou respirando bem e repito o procedimento a noite. Quando estou em plena crise de sinusite ou rinite, faço até quatro vezes por dia.
Quando você pega o jeito, percebe que tudo flui naturalmente e fica super fácil de fazer, sem necessidade de ficar passando a lista: encosta o queixo no peito, inclina a cabeça, respira pela boca... pela boca!!!!
E porque funciona? É pela combinação dos fatores: a água morna tem uma função vasodilatadora e o sal age como bactericida e antisséptico, além de proteger o revestimento da mucosa nasal.
O higienizador nasal é bem fácil de encontrar, seja em lojas físicas ou pela internet e seu valor vai variar de acordo com o material utilizado e o tamanho. Eu encontrei, em valores de março de 2018, entre R$ 30,00 e R$ 70,00.
Por mais bizarro que pareça esse procedimento, fato é que funciona e, sinceramente, só quem convive com as “itis” (sinusite e rinite), sabe o valor de respirar bem.
Vale a pena testar, tenho certeza que não vai haver arrependimentos, bom, só se tentar se olhar no espelho durante o processo... Mas aí eu já avisei.



Nenhum comentário:

Postar um comentário